Todo mundo já sentiu ansiedade diante das mais diversas situações durante a vida, como por exemplo em uma entrevista de emprego, uma viagem, uma apresentação em público ou demissão inesperada. A ansiedade constitui uma resposta adaptativa do nosso organismo. Ela é necessária por uma questão de sobrevivência.

Muitas pessoas experimentam níveis de ansiedade extremamente elevados, de forma crônica e que se apresentam nas mais variadas situações cotidianas. Nesses casos, estamos nos referindo à uma ansiedade patológica, onde o individuo apresenta o transtorno de ansiedade generalizada.

Os indivíduos que sofrem com esse transtorno sentem sérias dificuldades em manter a sua vida normal, já que suas vidas encontram se completamente dominadas por preocupações relacionadas à questão financeira, emprego, saúde, violência, filhos etc… Os pensamentos negativos e catastróficos invadem a mente sem que a pessoa se sinta capaz de os controlar e o nível elevado de tensão está presente à todo momento. Ainda que seja possível continuar a trabalhar e a assumir responsabilidades, essas atividades são sistematicamente acompanhadas de pressão, angustia e nervosismo.

Por exemplo, para uma pessoa que tem o transtorno de ansiedade generalizada, um atraso raramente é só um atraso, ou se um familiar não chegar na hora combinada, surgem automaticamente pensamentos do tipo “Aconteceu alguma coisa grave, deve ter ocorrido um acidente”. E estes pensamentos são, invariavelmente, acompanhados de agitação , medo e um grande desconforto. O indivíduo encontra-se preso em um ciclo que envolve pensamentos pessimistas e não consegue se basear nas evidências que contradizem esses pensamentos.

Diante da incapacidade de administrar essa situação, o indivíduo constantemente sofre de insónia, irritabilidade , falta de concentração e depressão. Também estão presentes sintomas físicos como taquicardia, tensão muscular, dores de cabeça, dores no peito, suores, tremores e problemas gástricos.

×